Democracia criativa: um voto para cores vivas e alegria inocente

Adobe Stock Colaborador
Autora: Brenda Milis

Na nossa terceira tendência visual de 2019, Democracia criativa, estamos vendo um vaivém de cores e tons. No começo dos anos 2000, a moda era se reconectar com a natureza em selfies, trazer seu lado rústico de lenhador e, como um todo, o contexto monotônico natural do meio ambiente; agora estamos retornando às cores saturadas e vibrantes, remetendo diversão e alegria. É uma época de renascimento para os neons das décadas de 80 e 90, em conjunto com a estética de color blocking dos anos 60.

Fonte das imagens: Pixel Stories/Stocksy/Adobe Stock (esquerda), milamila/Stocksy/Adobe Stock (direita)

Esse retorno às cores é uma resposta à tensão cultural, ambiental e política do momento. A Democracia criativa é um espaço livre onde podemos nos divertir sem compromisso. Para ver essa tendência em ação, veja nossa galeria com curadoria de artistas da Adobe para sentir uma gostinho da alegria visual e inspirar-se para a sua próxima criação.

 Voltando com tudo para as cores alegres

Depois de anos com os tons neutros das estéticas Pacific Northwest e Brooklyn, passamos por uma pequena homogeneidade (tanto que os hipsters não conseguem se diferenciar). Em contraste, a tendência da Democracia criativa tem raízes nas explorações de cores primárias e formas geométricas realizadas por Piet Mondrian na virada do século e, posteriormente, na tendência Mod dos anos 60, com a versão atual que adiciona uma pitada de personalidade 2019.

Color blocking é a exploração alegre com paletas de cores saturadas e contrastantes. Esse estilo também nos convida a deixar de lado os designs e as paletas tecnicamente perfeitas. Os profissionais criativos estão adotando tonalidades conflitantes, cores pouco usadas, como amarelo-mostarda, e uma abordagem claramente antidesign.

Fonte da imagem: yahya /Adobe Stock

Além disso, estamos vendo um retorno aos estúdios fotográficos. Os criativos estão se afastando das cores já conhecidas e favorecendo tonalidades mais nítidas e planejadas com iluminação controlada de estúdio.

A exuberância em design, experiências e além

Estúdios de design estão recebendo a Democracia criativa de braços abertos. Por exemplo, a Tropico Photo, em Atlanta, está chamando atenção com suas linhas fortes, combinações surpreendentes de cores e atitude relaxada. Da mesma maneira, o estúdio criativo JUCO está levando cores fortes e visuais irreverentes para sua lista global de clientes, desde a Coca-Cola e a Teen Vogue até a Apple e a Lexus.

As marcas estão adotando essa abordagem ousada em cores para se conectarem com os clientes cansados da estética monótona e fria. Vejamos a ban.do, cuja linha de produtos inclui produtos em cores brilhantes, como agendas, sapatos, roupas e até mesmo patins rosa retrô. A empresa anuncia com orgulho: “incentivamos a alegria”. A marca de beleza em ascensão ColourPop.com está conquistando clientes com pigmentos e cosméticos profundos, incluindo sua coleção Neon Lights, que permite que os clientes façam uma transformação colorida. Até mesmo a WeTransfer, uma empresa de envio de arquivos digitais, está usando cores ousadas para animar as tarefas diárias.

Fonte das imagens: Stefanie/Adobe Stock (esquerda), Addictive Stock/Adobe Stock (direita)

Mas a Democracia criativa não se trata apenas da reconstrução de marcas e sessões em estúdio. Cores estão presentes em experiências por toda parte. Considere, por exemplo, as instalações participativas superpopulares, como a Color Factory e a 29ROOMS. Elas foram criadas com o objetivo de envolver os sentidos dos visitantes, cercando-os com cores e convidando-os para a brincadeira.

Extravagância, cores e risadas

Apesar de o Met Gala ser sempre extravagante, o tema deste ano, Camp: Notes on Fashion, descrito por RuPaul como um lugar para “as pessoas que podem quebrar a quarta parede, que podem ver além das máscaras da vida, onde ela verdadeiramente começa, quando você a vê como um conceito, conseguindo se divertir com ela e dar risada.” 

Assim como a extravagância, a Democracia criativa é ver a realidade de outra maneira, e encontrar o espaço filosófico para nos divertirmos em meio ao mundo em tons de cinza. 

Conclusão para marcas e designers

Há simplicidade na diversão da Democracia criativa: as marcas podem expandir a tendência com fontes grandes, tipografia simples, mensagens diretas e modelos com visuais exclusivos e novos para celebrar a individualidade além de estereótipos.

Aproveitando a Democracia criativa, é possível usar a tão desejada expressão criativa, criando algo direto e direito.

Para saber mais sobre a tendência Democracia criativa, confira nossa galeria do Adobe Stock e não perca nossas conversas com artistas que criam trabalhos alegres e coloridos.


Adobe Stock Colaborador

Posted on 06-25-2019


Join the discussion