A importância de aprender novas ferramentas

Amarelo Criativo

No caminho da vida de um profissional criativo, deparamos com muitas regras e modelos de forma de trabalhar a serem seguidos. Escutamos na faculdade, de fornecedores e até mesmo em alguns locais de trabalho, que devemos usar um software X para fazer X função. Devemos usar software Y para fazer função Y e devemos usar Z para fazer a função Z.

Mas essas regras resolveram não acompanhar o tempo e a evolução das necessidades humanas, ou melhor dizendo, a complexidade humana. A tecnologia evolui muito nos últimos 10 anos, os smartphones são mais rápidos que nossos primeiros computadores, as impressoras são 3D e os cartões de visitas… bom, talvez não seja tão necessário mais.

Os papéis em que sua papelaria seria impressa era mais importante que as redes sociais de uma empresa. Fomos do “quero meu cartão de visita com verniz localizado” para “será que o meu cliente entende meu negócio quando entra no meu site?” e com isso o UX e UI design ganhou um espaço feroz, ocupando o lugar do cara da gráfica.

Os softwares antes usados para trabalhos exclusivamente gráficos se atualizaram. Se antes precisávamos criar um layout de aplicativo no illustrator, hoje temos o Adobe XD que facilitou essa integração de ferramenta e deixou o criativo focado no que mais importa: o usuário. Se o 3D era exclusivo para profissionais de digital arts e grande produções de Hollywood, o Dimension permitiu com que os criativos desenvolvessem seus próprios mockups, ou até mesmo seus próprios produtos.

Esse tipo de evolução não acontece somente na ferramenta, mas acontece na cabeça do criativo. A partir do momento que temos novas ferramentas para trabalhar entendemos que podemos criar mais. 

O mercado de trabalho também sentiu esse mudança buscando profissionais cada vez mais capacitados em intercalar conhecimento em diversas ferramentas. Claro que para tudo existe um limite que devemos entender, se você produz mais e tem mais conhecimento em diversas ferramentas a sua remuneração deve acompanhar sua habilidade profissional – um ponto que talvez o mercado ainda não tenha entendido tão bem.

O grande ponto que queremos discutir é a importância da evolução profissional. Aprender novas ferramentas não é apenas essencial para um vaga no mercado de trabalho, mas é uma oportunidade do criativo expandir seus horizontes e quem sabe se apaixonar por um outro tipo de criação. O ilustrador pode se apaixonar pelo 3D, o designer gráfico pode se apaixonar por edição de vídeos e o fotógrafo pode gostar muito de criar uma experiência real para o usuário.

O profissional criativo é você, a ferramenta apenas irá te auxiliar a encontrar mais de uma forma para resolver um problema de forma criativa.

Não se preocupem com o cara da gráfica, ele ainda tem muito trabalho pela frente. Em um mundo que infelizmente a informação e a tecnologia ainda não são extremamente difundidas, existem clientes que precisam ser impactados através de panfletos, faixas, outdoors, cartazes mas esses mesmos clientes estão cada vez mais online.


Amarelo Criativo

Posted on 09-15-2020


Join the discussion